Arquivo da categoria: Uncategorized

Dicas para a volta às aulas

Por Debora Corigliano, pedagoga e autora do livro Orientando pais, educando filhos

Nesta época do ano, a maior preocupação dos pais na volta às aulas é a  corrida contra o tempo para os filhos que precisam de nota, além é claro da organização do material e uniforme escolar. Querem deixar tudo pronto e arrumadinho para que o filho tenha vontade de voltar às aulas. Para o aluno, a preocupação está em  retomar  com  entusiasmado e manter-se assim ao longo do  semestre, muitos detalhes além do material escolar devem ser providenciados.

A família deve se organizar para retomada  da rotina escolar.

  • Organize  o material escolar e também um material para estudos, com revistas e gibis para pesquisa;
  • Um local apropriado para fazer as lições, que poderá ser organizado pela própria criança;
  • Uma caixa contendo lápis, tinta, cola, tesoura e outros itens para realização das tarefas;
  • Jogos que correspondam à faixa etária de seu filho, que estimulem a alfabetização, a linguagem escrita, a matemática ou até a língua inglesa;
  • Estabeleça com ele uma rotina de atividades, com horários para estudo, lição de casa, TV, computador, vídeo game, entre outras atividades;
  • Não esqueça de colocar nesta rotina o momento do “ócio”, toda criança precisa ter um momento para brincar, descansar ou simplesmente ficar à toa;

Se  seu filho  está na adolescência e já possui alguns hábitos que precisam ser melhorados, vale ressaltar:

  • Organize seu local de estudo, não é porque ele já é adolescente que precisará fazer isso sozinho, com a parceria dos pais tudo fica mais fácil e prazeroso;
  • Organize com seu filho uma rotina diária de estudos. Converse com os professores e veja em quais aspectos ele precisa de ajuda para não deixar para última hora;
  • Monte um quadro de atividades, incluindo tempo para estudos e diversão;
  • Dê para seu filho de presente alguma literatura que faça parte de seu dia a dia. Por exemplo, se ele é fanático por futebol, compre um livro ou revista sobre este assunto. Com certeza ele terá prazer em fazer esta leitura e poderá ser o início de um novo hábito saudável;
  • Proponha grupo de estudos em sua casa, adolescente gosta de atividades em grupo. E o ato de ser a anfitriã fará com que você ganhe pontos com seu filho;
  • Atividades culturais podem fazer parte da agenda de seu filho. Organize-se para tal.

 O mais importante é você estar presente na vida escolar de seu filho, por mais que ele apresente autonomia e responsabilidade, a presença e o interesse dos pais sempre será um incentivo para esta fase acadêmica.

Seja exemplo nas diversas ações relacionadas ao estudo, hábitos de leitura e comportamental. Muitas vezes uma ação vale mais que muitas palavras.

Imagem

A Autores Associados possui livros que podem ser úteis no entendimento da relação entre pais e filhos. Confira alguns deles:

(link para compra nos títulos)

Orientando pais, educando filhos, Debora Corigliano – Quando falamos da educação de nossos filhos, estamos falando de seres maravilhosos, que amamos e queremos bem. Por esse motivo este assunto tornou-se uma das áreas do comportamento humano mais exaustivamente pesquisada. Você pode me perguntar: mas quem são pais inteligentes emocionalmente? Como posso ter esse tipo de inteligência para melhorar o relacionamento com meus filhos? Esta resposta você mesmo poderá ter ao final do livro, depois de refletir sobre suas ações, respeitar suas limitações e as dos seus filhos e querer muito ter uma relação saudável de pais e filhos e não simplesmente de amigo.

Os fundamentos da relação afetiva, Raphaële Miljkovitch – O objetivo da obra de Raphaële Miljkovitch é duplo. Por um lado, trata-se de examinar o que, na infância,e particularmente na relação com os pais, influencia o indivíduo na sua maneira de ser enquanto parceiro num casal. Como as experiências precoces orientaram o adulto na sua forma de se relacionar com o outro? Em que a relação amorosa desperta a problemática originada na infância? Quais são os procedimentos desencadeados no fenômeno de repetição? Por outro lado, trata-se de avaliar até que ponto essa influência do passado é determinante nas modalidades relacionais do adulto. De que margem ele dispõe para se libertar do aprendizado precoce? Quais são os fatores de resiliência que autorizam certa liberdade de ação concomitante a uma autonomia em relação à sua história?

Guarda compartilhada e Síndrome de Alienação ParentalDenise Maria Perissini da Silva – Diante de um processo de separação, quem se coloca no lugar da criança? Este livro aborda a questão da separação do ponto de vista da relação dos filhos com os pais e com as dificuldades de recomeçar a vida de uma maneira diferentes. Trata da necessidade de os pais saberem conduzir a situação da melhor maneira possível para o desenvolvimento de seus filhos.

Regulamentação da profissão de historiador

PARA HISTORIADORES E ACADÊMICOS DE HISTÓRIA DE TODO O BRASIL:

Estamos solicitado apoio para a aprovação do Projeto de Regulamentação da Profissão de Historiador (PL 4699, de 2012). Nossa intenção é que entre em votação na Câmara dos Deputados na próxima semana, antes do recesso, e possamos anunciar a aprovação no XXVII Simpósio Nacional de História em Natal (22 a 26/07). Neste sentido, é muito importante entrar em contato com os DEPUTADOS FEDERAIS de seu estado para votarem a favor deste Projeto de Lei. Estamos disponibilizando carta assinada pelo presidente de ANPUH-Brasil que pode ajudar no contato com os deputados (é só enviar seu e-mail que enviamos). PRECISAMOS NOS MOBILIZAR! PRECISAMOS PEDIR APOIO AOS DEPUTADOS FEDERAIS PARA VOTAREM A FAVOR DA REGULAMENTAÇÃO DA PROFISSÃO DE HISTORIADOR!

LEIA AQUI ( http://cafehistoria.ning.com/profiles/blogs/arquivo-conversa-cappuccino-8 ) ENTREVISTA COM O SENADOR PAULO PAIM ( PT – RS) AUTOR DO PROJETO DE LEI QUE PREVÊ A REGULAMENTAÇÃO DO OFÍCIO DE HISTORIADOR NO BRASIL.

Acesse e saiba mais http://www.profisabelaguiar.blogspot.com.br/

A HISTÓRIA DO ORIGAMI

Origamis feitos pelos alunos do colégio I.F.J.P.S.

Segundo estudiosos, a origem do Origami é tão antiga quanto à origem do papel.

O papel surgiu na China, em 105 a.C. para substituir a seda que era usada para escrever. T´Sai Lun (administrador do palácio do imperador chinês) foi o responsável por essa descoberta, ele misturou panos, redes de pesca e cascas de árvores. No império chinês essa técnica virou segredo e foi guardada por muito tempo. Somente no século VI ela chegou ao Japão, por intermédio dos monges budistas chineses, mas só a nobreza tinha acesso, pois era considerado um artigo de luxo, usado em moldes de quimonos e em festas religiosas (Shino).O origami foi introduzido nessas festas:

Nos casamentos eram feito copos de vinho tinto, dobrados em papel, com borboletas, representando a união dos noivos;

Os diplomas eram dobrados de maneira especial, e se abertos não podiam voltar a ser fechados sem que fossem feitas novas dobras;

Os samurais se presenteavam com o “Noshi”, que são pedaços de papel dobrados em forma de leque, amarrados com tiras de carne seca.

Entre 1338 e 1576 o papel se tornou mais acessível e os adornos usados distinguiam as classes sociais. As figuras criadas eram passadas, oralmente, de mãe para filha e somente as dobraduras mais simples eram trabalhadas.

Os primeiros livros de Origami surgiram no período de 1603 a 1867, mas o primeiro com instruções foi “Como Dobrar Mil Tsurus” – Senbazuru Orikata, em 1797. A partir daí o origami tornou-se uma forma de arte muito popular. O livro “Kan No Mado”, publicado em 1845, incluía cerca de 150 modelos de origami, dentre eles o origami de sapo. Este é o marco do crescimento do Origami como atividade recreativa no Japão.

Akira Yoshizawa é o pai da Origami Moderno, ele inventou os Símbolos usados nas atuais instruções passo-a-passo, para ele o Origami é uma filosofia de vida. Depois da invenção do papel o mais importante para o Origami é o Sistema Yoshizawa – Randlett, 1956, pois ele permite a difusão internacional das diversas criações.

No Japão o sapo representa o amor e a fertilidade; a tartaruga, a longevidade e o tsuru (ave-símbolo do Origami), também conhecido como grou ou cegonha, significa boa sorte, felicidade e saúde.

Na Espanha a arte de dobrar papel chegou com os Mouros, do Norte da África, no século VIII, mas só eram criadas figuras geométricas porque a religião proibia a criação de formas animais. Da Espanha, entrou na Europa com as rotas comerciais marítimas e tempos depois chegou aos Estados Unidos.

Reza a lenda que quem fizer mil tsurus, desejando algo, terá sucesso.

 

Biblioteca em taxis, o Bibliotaxi

Com o intuito de transformar taxis em bibliotecas foi criado, pela Easy Taxi, o projeto cultural Bibliotaxi. A concepção teve início na Vila Madalena e pretende se espalhar pela cidade de São Paulo nos próximos meses.

O projeto funciona da seguinte forma: você entra no taxi, pega um livro para ler e o devolve no próximo taxi que você pegar, criando assim um ciclo pelos carros da cidade.

O programa tem por objetivo fomentar a leitura e a educação das pessoas que se utilizam de taxis, e também aumentar o número de usuários deste tipo de transporte para, assim, diminuir o trânsito dos grandes centros urbanos. Outro intuito é aumentar a cultura do compartilhamento entre a população afinal, todos irão compartilhar a leitura e poderão levar livros que têm em casa para serem doados ao programa.

Para mais informações, acesse: http://bibliotaxi.wordpress.com

Dia Mundial do Livro e dos Direitos Autorais

Hoje é comemorado mundialmente o Dia do Livro e dos Direitos Autorais. A comemoração teve início na Catalunha, Espanha, mas em outra data. Ele era celebrado desde 1926 no dia 07 de outubro como uma comemoração ao nascimento de Miguel de Cervantes, um escritor espanhol.

Posteriormente a data foi atribuída pela Unesco – Organização das Nações Unidas para a educação, a ciência e a cultura – em 1995 para conscientização da importância dos livros e da leitura em nossa sociedade, e também em comemoração a todos os autores importantes que faleceram na data (como William Shakespeare e Miguel de Cervantes). Além disso, a data é importante para que os jovens tenham conhecimento de que a leitura é na verdade um prazer e passem a incorporar a prática ao dia a dia.

Dia_mundial_do_Livro2

Em nota, a diretora geral da Unesco, Irina Bokova, ressaltou que “este dia propicia uma oportunidade para refletirmos juntos sobre maneiras de melhor disseminar a cultura da palavra escrita e de permitir que todos os indivíduos, homens, mulheres e crianças, tenham acesso a ela, por meio de programas de alfabetização e de apoio a carreiras em publicações, livrarias, bibliotecas e escolas”.

A história do Dia da Mentira

O dia 1º de abril é mundialmente conhecido como o Dia da Mentira, mas vocês sabem o porquê desta data ser comemorada?

Imagem

Na França a data marcou o fim do ano novo que era comemorado no dia 1º de abril e não em 1º de janeiro. Com o fim das comemorações no primeiro dia de abril, quando o rei Carlos IX adotou o calendário gregoriano, muitas pessoas não aceitaram a mudança e continuaram a comemorar em abril, o que gerou muitas gozações. Eram enviados presentes e convites de festas inexistentes.

As brincadeiras se espalharam pelo Inglaterra e depois para o mundo todo, disseminando assim o Dia da Mentira.

Aqui no Brasil a propagação do 1º de abril ganhou força em Minas Gerais por causa de um periódico chamado A Mentira, que começou a circular em 1º de abril de 1828 com a notícia de que D. Pedro havia falecido, o que foi desmentido no dia seguinte. As publicações seguiram até o ano de 1849.

 

Fonte.

Doe um livro para uma cesta básica – Leitura Alimenta

Foi criado um projeto, em parceria da Livraria da Vila com a Cesta Nobre, chamado Leitura Alimenta que visa à inclusão de livros doados nas cestas básicas para incentivar as pessoas que têm acesso restrito a livros a criarem o hábito da leitura, democratizando o acesso aos livros. Muita gente não tem tempo de ler um livro, outras não leem por que não possuem um em casa pelo custo de uma obra.

O projeto foi implantado somente na cidade de São Paulo. Quem quiser doar um livro, basta ir a uma das unidades da Livraria da Vila e colocar o livro escolhido na urna. Caso o doador queira ajudar sem se desfazer de sua coleção, basta comprar um livro virtual – o dinheiro da compra será revertido para a compra do livro real. Se você não for da cidade de São Paulo basta enviar o livro para a Caixa Postal 73007 CEP: 08341-420

Para saber mais sobre o projeto, acesse: http://www.leituraalimenta.com.br

33