Arquivo do mês: maio 2013

A HISTÓRIA DO ORIGAMI

Origamis feitos pelos alunos do colégio I.F.J.P.S.

Segundo estudiosos, a origem do Origami é tão antiga quanto à origem do papel.

O papel surgiu na China, em 105 a.C. para substituir a seda que era usada para escrever. T´Sai Lun (administrador do palácio do imperador chinês) foi o responsável por essa descoberta, ele misturou panos, redes de pesca e cascas de árvores. No império chinês essa técnica virou segredo e foi guardada por muito tempo. Somente no século VI ela chegou ao Japão, por intermédio dos monges budistas chineses, mas só a nobreza tinha acesso, pois era considerado um artigo de luxo, usado em moldes de quimonos e em festas religiosas (Shino).O origami foi introduzido nessas festas:

Nos casamentos eram feito copos de vinho tinto, dobrados em papel, com borboletas, representando a união dos noivos;

Os diplomas eram dobrados de maneira especial, e se abertos não podiam voltar a ser fechados sem que fossem feitas novas dobras;

Os samurais se presenteavam com o “Noshi”, que são pedaços de papel dobrados em forma de leque, amarrados com tiras de carne seca.

Entre 1338 e 1576 o papel se tornou mais acessível e os adornos usados distinguiam as classes sociais. As figuras criadas eram passadas, oralmente, de mãe para filha e somente as dobraduras mais simples eram trabalhadas.

Os primeiros livros de Origami surgiram no período de 1603 a 1867, mas o primeiro com instruções foi “Como Dobrar Mil Tsurus” – Senbazuru Orikata, em 1797. A partir daí o origami tornou-se uma forma de arte muito popular. O livro “Kan No Mado”, publicado em 1845, incluía cerca de 150 modelos de origami, dentre eles o origami de sapo. Este é o marco do crescimento do Origami como atividade recreativa no Japão.

Akira Yoshizawa é o pai da Origami Moderno, ele inventou os Símbolos usados nas atuais instruções passo-a-passo, para ele o Origami é uma filosofia de vida. Depois da invenção do papel o mais importante para o Origami é o Sistema Yoshizawa – Randlett, 1956, pois ele permite a difusão internacional das diversas criações.

No Japão o sapo representa o amor e a fertilidade; a tartaruga, a longevidade e o tsuru (ave-símbolo do Origami), também conhecido como grou ou cegonha, significa boa sorte, felicidade e saúde.

Na Espanha a arte de dobrar papel chegou com os Mouros, do Norte da África, no século VIII, mas só eram criadas figuras geométricas porque a religião proibia a criação de formas animais. Da Espanha, entrou na Europa com as rotas comerciais marítimas e tempos depois chegou aos Estados Unidos.

Reza a lenda que quem fizer mil tsurus, desejando algo, terá sucesso.

 

Anúncios

Eventos da semana

Nesta semana teremos dois eventos de lançamentos da Editora Autores Associados, um em Belo Horizonte/MG e outro em São Paulo/SP.

Na quarta-feira (dia 22/05) acontecerá o lançamento do livro de José Eli da VeigaOs Estertores do Código FlorestalO lançamento acontecerá na Escola Superior Dom Helder Câmara, durante a Roda de Ideias “A desgovernança da Sustentabilidade”, à partir das 15 horas. As inscrições são gratuitas.

Para mais informações liguem (31) 3037-5533

Sobre o livro

O livro Os Estertores do Código Florestal reúne um conjunto de 12 artigos editados, que haviam sido publicados nos jornais Folha de S.Paulo e Valor Econômico e também na revista Página 22. Os textos retratam os principais episódios da revogação do Novo Código Florestal (NCF) de 1965, entre maio de 2011 e junho de 2012. O objetivo é mostrar como a nova lei n.  2.651/2012, que entra no lugar do NCF, será prejudicial ao Brasil. José Eli da Veiga explica por que ela comprometerá a conservação da biodiversidade e, consequentemente, o desenvolvimento sustentável. Por isso propõe a criação de um grupo formado por cientistas, juristas, empresários e pesquisadores do terceiro setor que assuma o desafio de rever a nova lei, cuja constitucionalidade já foi contestada junto ao Supremo Tribunal Federal pelo Ministério Público.

Compra online.

Os estertores-CONVITE

Já na quinta feira (dia 23/05) acontecerá o lançamento do livro Donald W. Winnicott – uma nova abordagem, com a presença da autora do livro, Laura Dethiville, durante o XVIII Colóquio Internacional Winnicott – Família, a ser realizado na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, unidade Perdizes. O lançamento será à partir das 21h30.

Para inscrições e mais informações sobre o Colóquio acesse www.sociedadewinnicott.com.br

Sobre o livro

Donald. W. Winnicott: uma nova abordagem é um texto vivo e vivido, notavelmente articulado, um retrato deste pesquisador incansável, Donald Winnicott – digno discípulo de Freud. Ao propor soluções inesperadas na prática da experiência clínica, Winnicott descobriu que essas experiências não se encaixavam com a teoria. Este fato pode ser notado na obra através das explicações dos principais conceitos do teórico. Laura Dethiville revela um Winnicott precursor dos cuidados que devem ser dedicados aos males sintomáticos da sociedade. A abordagem que a autora dá ao livro torna-o um instrumento de reflexão indispensável para o conhecimento da obra de Winnicott. Para Laura Dethiville, é impossível “definir” os conceitos de Winnicott. Só se pode descrevêlos. Esta obra tem este desafio: tentar “contar” Winnicott, atualizando suas teorias para as atuais descobertas.

Compra online.

Biblioteca em taxis, o Bibliotaxi

Com o intuito de transformar taxis em bibliotecas foi criado, pela Easy Taxi, o projeto cultural Bibliotaxi. A concepção teve início na Vila Madalena e pretende se espalhar pela cidade de São Paulo nos próximos meses.

O projeto funciona da seguinte forma: você entra no taxi, pega um livro para ler e o devolve no próximo taxi que você pegar, criando assim um ciclo pelos carros da cidade.

O programa tem por objetivo fomentar a leitura e a educação das pessoas que se utilizam de taxis, e também aumentar o número de usuários deste tipo de transporte para, assim, diminuir o trânsito dos grandes centros urbanos. Outro intuito é aumentar a cultura do compartilhamento entre a população afinal, todos irão compartilhar a leitura e poderão levar livros que têm em casa para serem doados ao programa.

Para mais informações, acesse: http://bibliotaxi.wordpress.com