Arquivo do mês: agosto 2012

Benefícios da leitura

Além de soltar nossa imaginação, melhorar nossa fala e escrita e aumentar nossa criatividade, a leitura constante ajuda nossa saúde também. Diversos estudos de Universidades internacionais revelam que pessoas com habito de ler todos os dias pode ajudar a prevenir o Mal de Alzheimer, por inibir a formação das placas amilóides (proteínas encontradas em pacientes que sofrem da doença).

Outros benefícios são o aumento da plasticidade do cérebro, melhoria das relações interpessoais e empatia, aumento da memória e até a redução da pressão arterial. Os benefícios são maiores em pessoas que têm o costume de ler ou escrever desde a infância (a partir dos 7 anos). Foram analisados cérebros de adultos saudáveis com idade igual ou superior a 60 anos, foi concluído que aqueles que tinham hábito de ler, escrever ou jogar xadrez desde a infância mostraram níveis muito baixos das placas amilóides.

Por isso da importância dos pais terem o habito de ler livros infantis para seus filhos, a leitura aumenta neles a capacidade de concentração e de pensar com clareza, além de possibilitar fazerem associações com sons, cheiros, sabores e imagens descritas no texto. Uma dica de um bom livro que permite às crianças fazerem tais associações é o Azul-Banana, do autor Geraldo Peçanha Almeida. Nele há construção de lembranças que se agregam a cores, sabores e cheiros, levando o leitor para uma viagem em sua memória.

ImagemCompre o livro Azul-Banana online aqui.

Anúncios

Dia D para fumantes

Em 1986 foi criada a Lei Federal º 7488, que estabeleceu o dia 29 de agosto como o Dia Nacional de Combate ao Fumo. A lei foi criada com o objetivo de conscientizar a população dos riscos do tabagismo e oferecer campanhas anti fumo. Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde) o vício é a principal causa de morte evitável no mundo todo e é estimado que cerca de um terço da população adulta mundial (1,2 bilhão de pessoas) sejam fumantes.

Além do mal aos fumantes, o cigarro é extremamente nocivo para os fumantes passivos: há cerca de 4.720 substâncias tóxicas em sua fumaça, entre elas o polônio 120 e o cádmio (substâncias radioativas!). Crianças e idosos são os que mais sofrem por desenvolverem mais facilmente doenças respiratórias, entre elas a asma e a bronquite, além disso as chances de desenvolver câncer de pulmão, enfisema e pneumonia são tão altas quando a de pessoas com o vício.

Parar de fumar não é fácil, as pessoas ficam muito irritadas, inquietas, ansiosas e tendem a engordar, mas os benefícios são grandes e imediatos: depois de um dia o monóxido de carbono é eliminados;  dois dias após a decisão a nicotina é totalmente eliminada do organismo e o olfato e paladar melhoram; em três dias a respiração apresenta melhora; em seis meses o risco de infecções respiratórias cai radicalmente o a circulação sanguínea fica melhor;  em um ano o risco de morte por doenças cardiovasculares cai pela metade;  em 10 anos o risco de morte por câncer de pulmão diminui quase 50%; em 20 anos o risco de adquirir câncer de pulmão é similar ao de uma pessoa que nunca fumou.

Imagem

Gastos

Se ainda não se sentiu motivado a largar o vício, saiba que o fumo traz malefícios também para o seu bolso. Uma pessoa que fumou um maço de cigarros, com preço médio R$4,00, por 10 anos gastou R$14.400,00 com o vício. Em um mês o gasto é de R$120,00.

Faça o cálculo aqui.

Um Diário de Classe nada convencional

É de conhecimento público que a situação das escolas públicas do Brasil é deplorável. Falta de professores titulares, má administração, os prédios não passam por reformas, os refeitórios são inapropriados entre outras coisas. E muitos candidatos a prefeito, durante suas campanhas eleitorais na televisão, mostram as coisas muito diferentes e prometem melhorias na educação municipal que não são cumpridas.

Foi pensando nisso que a aluna Isadora Faber, de 13 anos, estudante da escola municipal Maria Tomázio Coelho, em Santa Catarina, criou em julho deste ano uma página no facebook para denunciar a situação de sua escola. Intitulada Diário de Classe, a página é alimentada com fotos de fiações expostas e desencapadas, ventiladores e mesas quebrados, portas sem maçaneta e muitos outros problemas que assolam não só o colégio de Isadora, mas todos os outros pelo Brasil. Além das fotos, ela também posta vídeos mostrando a bagunça durante as aulas de matemática – vídeos esses que a garota teve que retirar do ar. Além de mostrar os problemas, a adolescente se preocupa, também, em publicar as melhorias já feitas na escola.

Muitas postagens mostram a indignação de Isadora diante da incapacidade de professores substitutos – durante a aula, eles passam somente um exercício para ser feito. Ela opina que o tempo de aula poderia ser melhor aproveitado pelo professor para realmente ensinar algo. Suas reclamações não param por aí, ela também diz ser contra o programa do governo conhecido como Progressão Continuada que dificulta a reprovação dos alunos que têm média baixa até a 8ª série, segundo ela isso só contribui para a má formação dos alunos, e acarretaria problemas sociais.

ImagemPressão

Isadora conta que sofre pressão por todos os lados para a retirada da página do ar, ou parte de seu conteúdo – o que já conseguiram com vídeos que a menina postou que mostram o refeitório e as aulas. Pode parecer mentira, mas a garota sofre bullyng não só da direção da escola, alunos e professores têm a recriminado de muitas formas. Em um de seus posts conta que a professora de português chegou a passar uma aula em que expôs aos alunos as políticas da internet e disse ser errado falar mal de professores na rede.

Mas pelo visto a garota não vai parar, suas publicações começaram a surtir efeito, muitas portas, ventiladores, tomadas e bebedouros já foram arrumados, tudo isso aliado ao seu sucesso na rede (desde a criação, em 11 de julho, a página recebeu mais de 57 mil ‘likes’, e o número sobe a todo minuto!) só estimulam Isadora a continuar com a página que, segundo ela, tem o objetivo de favorecer a todos, não só a ela.

Hoje a professora de português Queila, preparou uma aula pra me ”humilhar” na frente dos meus colegas, a aula falava sobre politica e internet, ela falava que ninguém podia falar da vida dos professores, porque nós podíamos ter feito muitas coisas erradas pra eles odiarem e etc. Eu e acho que a maioria dos meus colegas entenderam o recado ”pra mim”. Além disso quando vou até o refeitório as cozinheiras, começam a falar de mim, na minha frente e rir, eu e a Melina (minha colega) fomos reclamar com a diretora, então ela disse que eu tenho que aguentar as consequências e que a partir de agora seria assim com todos, não resolveu o problema. Confesso que fiquei muito triste …

Publicação do dia 21 de agosto.

Como anda sua pronúncia?

Você acha que pronuncia bem as palavras em inglês? De acordo com o blog Spelling, o texto abaixo contém todas as palavras de difícil pronúncia juntas em um poema. Se você conseguir pronunciar corretamente todas as palavras, então você estará falando inglês melhor do que 90% dos nativos dessa língua!

Tente passar da quinta linha sem ficar com dúvidas:

Dearest creature in creation,
Study English pronunciation.
I will teach you in my verse
Sounds like corpse, corps, horse, and worse.
I will keep you, Suzy, busy,
Make your head with heat grow dizzy.
Tear in eye, your dress will tear.
So shall I! Oh hear my prayer.
Just compare heart, beard, and heard,
Dies and diet, lord and word,
Sword and sward, retain and Britain.
(Mind the latter, how it’s written.)
Now I surely will not plague you
With such words as plaque and ague.
But be careful how you speak:
Say break and steak, but bleak and streak;
Cloven, oven, how and low,
Script, receipt, show, poem, and toe.
Hear me say, devoid of trickery,
Daughter, laughter, and Terpsichore,
Typhoid, measles, topsails, aisles,
Exiles, similes, and reviles;
Scholar, vicar, and cigar,
Solar, mica, war and far;
One, anemone, Balmoral,
Kitchen, lichen, laundry, laurel;
Gertrude, German, wind and mind,
Scene, Melpomene, mankind.
Billet does not rhyme with ballet,
Bouquet, wallet, mallet, chalet.
Blood and flood are not like food,
Nor is mould like should and would.
Viscous, viscount, load and broad,
Toward, to forward, to reward.
And your pronunciation’s OK
When you correctly say croquet,
Rounded, wounded, grieve and sieve,
Friend and fiend, alive and live.
Ivy, privy, famous; clamour
And enamour rhyme with hammer.
River, rival, tomb, bomb, comb,
Doll and roll and some and home.
Stranger does not rhyme with anger,
Neither does devour with clangour.
Souls but foul, haunt but aunt,
Font, front, wont, want, grand, and grant,
Shoes, goes, does. Now first say finger,
And then singer, ginger, linger,
Real, zeal, mauve, gauze, gouge and gauge,
Marriage, foliage, mirage, and age.
Query does not rhyme with very,
Nor does fury sound like bury.
Dost, lost, post and doth, cloth, loth.
Job, nob, bosom, transom, oath.
Though the differences seem little,
We say actual but victual.
Refer does not rhyme with deafer.
Foeffer does, and zephyr, heifer.
Mint, pint, senate and sedate;
Dull, bull, and George ate late.
Scenic, Arabic, Pacific,
Science, conscience, scientific.
Liberty, library, heave and heaven,
Rachel, ache, moustache, eleven.
We say hallowed, but allowed,
People, leopard, towed, but vowed.
Mark the differences, moreover,
Between mover, cover, clover;
Leeches, breeches, wise, precise,
Chalice, but police and lice;
Camel, constable, unstable,
Principle, disciple, label.
Petal, panel, and canal,
Wait, surprise, plait, promise, pal.
Worm and storm, chaise, chaos, chair,
Senator, spectator, mayor.
Tour, but our and succour, four.
Gas, alas, and Arkansas.
Sea, idea, Korea, area,
Psalm, Maria, but malaria.
Youth, south, southern, cleanse and clean.
Doctrine, turpentine, marine.
Compare alien with Italian,
Dandelion and battalion.
Sally with ally, yea, ye,
Eye, I, ay, aye, whey, and key.
Say aver, but ever, fever,
Neither, leisure, skein, deceiver.
Heron, granary, canary.
Crevice and device and aerie.
Face, but preface, not efface.
Phlegm, phlegmatic, ass, glass, bass.
Large, but target, gin, give, verging,
Ought, out, joust and scour, scourging.
Ear, but earn and wear and tear
Do not rhyme with here but ere.
Seven is right, but so is even,
Hyphen, roughen, nephew Stephen,
Monkey, donkey, Turk and jerk,
Ask, grasp, wasp, and cork and work.
Pronunciation (think of Psyche!)
Is a paling stout and spikey?
Won’t it make you lose your wits,
Writing groats and saying grits?
It’s a dark abyss or tunnel:
Strewn with stones, stowed, solace, gunwale,
Islington and Isle of Wight,
Housewife, verdict and indict.
Finally, which rhymes with enough,
Though, through, plough, or dough, or cough?
Hiccough has the sound of cup.
My advice is to give up!!!

Imagem

Se ainda está curioso quanto a correta pronúncia, você pode colocar o texto no Google Tradutor e clicar em “Ouvir”, ao lado da caixa onde o texto está e conferir se você é tão bom em inglês.

Fonte: Spelling

Desigualdade ainda marca o Dia da Infância

Muitas crianças ao redor do mundo vivem em situações extremas:  falta de saneamento, alimentação, saúde e educação básicos. Foi pensando nessa atmosfera que a Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) instituiu, em 1995, o dia 24 de agosto como o Dia da Infância. Diferente do dia 12 de outubro (data em que comemoramos o Dia da Criança), aquela data tem por objetivo levar as pessoas à reflexão sobre as condições sociais das crianças de todas as partes do globo.

As crianças, de acordo com a Declaração Universal dos Direitos das Crianças, devem ser criadas em um ambiente no qual sejam providos seus direitos básicos, tais como: alimentação, saúde, lazer, educação, liberdade, ambiente familiar; e devem ser protegidas da exploração, violência e negligência.ImagemMas, segundo um levantamento da Unicef (o Relatório da Situação Mundial da Infância, de 2012), esta realidade que prevê a Declaração Universal dos Direitos está muito longe de existir: 121 milhões de crianças não têm acesso à educação; cerca de 1,5 milhão são submetidas ao trabalho forçado ligado ao tráfico; é estimado que, em 2008, 215 milhões de crianças (de cinco a 17 anos de idade) estivessem envolvidas no trabalho infantil; mais de um bilhão sofrem pelo menos um tipo de privação, o que representa cerca da metade das crianças no mundo vivendo na pobreza.

Ainda há muito a ser feito para que elas tenham seus direitos básicos assegurados. Aqui no Brasil, mesmo com o Estatuto da Criança e do Adolescente, ainda há situações de extrema desigualdade, discriminação e opressão contra a criança. Quem são as crianças brasileiras? Como vivem suas infâncias? Quais seus desejos, suas necessidades, seus sonhos, seus conflitos, suas vontades? É o que Ana Lúcia Goulart de Faria e Daniela Finco tentam responder no livro Sociologia da Infância no Brasil – Editora Autores Associados.

Imagem

O livro pretende explorar a questão da diversidade cultural, social e étnica da infância no Brasil, abordando a reflexão sobre os discursos que constroem verdades absolutas sobre a infância, e rejeita  a arrogância da certeza teórica que se pretende homogênea.

Compre Sociologia da Infância no Brasil aqui.

Centenário de Nelson Rodrigues

Nelson Rodrigues completaria hoje cem anos de idade. O dramaturgo, escritor e jornalista mudou a história do teatro brasileiro e deu nova cara às crônicas que escrevia sobre a paixão nacional – o futebol.

Nascido em 23 de agosto de 1912 no Recife, Nelson Rodrigues se mudou para o Rio de Janeiro ainda criança e lá permaneceu até dezembro de 1980, ano de sua morte ao 68 anos. Fanático por futebol, era torcedor do fluminense e entendia do esporte como nenhum outro cronista – tanto que foi ele quem primeiro reconheceu o talento de Pelé. Escrevia sobre o futebol com olha crítico e conferia ao esporte uma atmosfera de espetáculo.

No teatro, com a peça Vestido de Noiva, o dramaturgo revolucionou o teatro no Brasil ao apresentar o espetáculo, dirigido por Ziembinski com o grupo Os Comediantes em 1943. A obra era dividida em três atos distintos, mostrando o presente, a imaginação e o passado da personagem central. A peça foi aceita tanto pelos espectadores quanto pelos críticos e é um marco do teatro moderno nacional.

Imagem

Homenagens

No ano de seu centenário o time de seu coração, Fluminense, planeja fazer um busto de Nelson Rodrigues para colocar na sede do time, nas Laranjeiras. O dinheiro arrecadado com a venda do livro Fluminense, 110 jogos inesquecíveis – Guerreiros desde 1902 será revertida para o projeto.

Além da homenagem do Fluminense, muitas peças serão exibidas em comemoração ao centenário do dramaturgo como Dorotéia (já exibida no Rio, chegou a São Paulo em 28 de julho e fica em cartaz até 14 de outubro) e Toda Nudez Será Castigada (em cartaz na Praça Roosevelt, em São Paulo, até 8 de setembro).

Hoje é comemorado o Dia do Folclore

Desde 1965 no dia 22 de agosto é comemorado o Dia do Folclore Brasileiro (“folk” vem do inglês e significa povo, já “lore” quer dizer cultura). A data foi instituída pelo Congresso Nacional a fim de homenagear a diversidade regional da cultura brasileira, e também com o intuito de, ao longo dos anos, a cultura popular não ser perdida, podendo ser passada de geração para geração com a comemoração em escolas. Além dos personagens conhecidos, como o Saci -Pererê, Boitatá, Cuca e outros, o dia também nos faz lembrar as festas populares e as danças.

Ciranda, maracatu, bumba-meu-boi, capoeira, baião e folia de reis estão entre as danças que se popularizaram na cultura brasileira e estão presentes em festas que comemoram o folclore nacional durante todo o mês de agosto em muitas regiões do país.

Vamos nos lembrar de alguns personagens do nosso folclore?

Imagem

Boitatá: a lenda é de origem indígena e acredita-se que foi o primeiro personagem do folclore brasileiro.  O Boitatá é encarregado da segurança das matas, para isso persegue e mata quem não respeitar os animais e florestas.

Mãe D’água: também conhecida como Iara, a sereia encanta os homens com seu lindo canto e os leva para o fundo do mar.

Saci-Pererê: o Saci é um garoto negro, com uma só perna, que tem um gorro vermelho mágico que utiliza para fazer travessuras: acorda cavalos, queima as comidas e acorda as pessoas com seu riso.

Boto: típica da região amazônica, essa lenda conta que um homem jovem usa seu charme para seduzir mulheres em bailes, as leva para a beira do rio e as engravidam. Depois ele entra no rio e se transforma em um boto.

Curupira: simbolizado por um anão com cabelos ruivos e compridos e os pés virados para trás, o Curupira é protetor das florestas e dos animais, quem desrespeita a natureza é punido com a morte pelo personagem.

Agora que já nos recordamos um pouco da cultura nacional, que tal nos informarmos um pouco sobre a cultura de outros países? A Editora Autores Associados tem um livro chamado Olhos do Mundo, que reconta lendas de diversas culturas ao redor do globo.

Imagem

A leitura é muito interessante, nos ajuda a entender como os povos de determinada região explicavam os fenômenos naturais e as relações inter-pessoais em tempo em que a ciência não tinha nenhum avanço ainda. Vai perder a chance de expandir seus conhecimentos? Acesse o link e faça a compra online do livro! Compre Olhos do Mundo aqui.